domingo, 15 de outubro de 2017

Salve Educadores


Parabéns a todos e todas que dedicam sua vida a educação, nosso presente é o reconhecimento e respeito da sociedade por uma educação pública, Democrática e de qualidade!!


domingo, 8 de outubro de 2017

Luto pela Educação em Casa Branca-SP, Apeoesp Articulação RP presente


Apeoesp Articulação Sindical RP e Professora Maria Izabel Azevedo Noronha Bebel, Presidenta da APEOESP, lidera neste sábado, 7/10, manifestação na cidade de Casa Branca contra municipalização do ensino, Professores da cidade e região se somaram a essa luta contra municipalização que o Prefeito tenta impor sem consultar população e câmara municipal, ao final foi encaminhado realização de um Plebiscito na praça central da cidade próximo dia 21 de Outubro, avante na luta sempre pela Educação Pública, Democrática e de qualidade!!!

Fotos: Douglas Mansur.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Aproferp e APEOESP Articulação contra o PL do Retrocesso

Hoje dia 05 de Outubro de 2017, protocolamos na prefeitura ofício solicitando ao Prefeito que não sancione o Projeto de lei 52/17 de autoria da Vereadora Gláucia Berenice PSDB, que teve apenas os votos contrários dos vereadores Jorge Parada PT, Luciano Mega PDT, Marmita PR e Marcos Papa - Rede, que mudou o voto na segunda votação.

Entidades, profissionais e sociedade não foram consultadas antes da aprovação deste projeto, que tenta de forma muito sutil legislar sobre currículo escolar além de penalizar Professores , Síndicato Servidores e comissão da diversidade da OAB também se posicionaram contra, agora estamos no aguardo da posição do Executivo se veta ou sanciona, se Vetar o projeto volta a Câmara e nesse momento teremos a oportunidade de ampliar o diálogo sobre o que de fato representa o PL que no enunciado se diz contra a Pornografia que todos somos, mas na sua essência traz parágrafos que tentam regular de forma retrógrada a ação do professor em sala.

A luta pelo Direito a Educação de Qualidade e em respeito a Diversidade e Tolerância continua .

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Sessão Descarrego

 Hoje estivemos novamente na sessão que tratou do Projeto que no enunciado combate a Pornografia mas no seu conteúdo traz componentes e amarras ao trabalho do educador, como se educação se resumisse a moral e religião como extensão das convicções da família, exatamente isso que consta em um dos incisos dos artigos do Projeto de Lei.

A sessão foi um episódio a parte, com parte do plenário tomado por pastores e fiéis de igrejas pentecostais evangélicas e católicas, além de também grupos uniformizados Direita São Paulo, diante de de tal platéia tivemos nobres edis na tribuna em nome de Deus e da Família dizendo sim ao projeto, tivemos a presença do Movimento LGTB, Comissão da Diversidade da OAB, Sindicato Servidores, Aproferp, Blog Calçadão e Apeoesp Articulação se posicionando de forma contrária, frisando todos somos contra a Pornografia, mas não concordamos com os demais artigos do Projeto de Lei que trazem ilegalidades agravantes a legislação educacional e ao trabalho em sala de aula.

Vamos no reunir brevemente para realizar os encaminhamentos e ações contra os equívocos aprovados na sessão dessa quinta feira dia 28 de Setembro de 2017.

A luta contra a ignorância e fundamentalismo político religioso é uma necessidade na atual conjuntura de golpes e retrocessos em nosso País, pois apenas o conhecimento no Estado Laico nas escolas públicas cada vez mais democráticas e de qualidade que tornam possível as mudanças políticas e sociais dentro de nossa sociedade, esse é nosso horizonte, bem diferente do que vimos na sessão de hoje em nossa Câmara Municipal que mais parecia um tribunal da inquisição contra aqueles que se posicionassem contra o Projeto.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

O começo do fim, a criminalização do ensino


Ontem dia 26/09/2017  foi aprovado o Projeto de Lei 52/17 de autoria da vereadora Glaucia Berenice PSDB que segundo a autora estabelece diretrizes para infância sem pornografia, algo que no mérito não temos discordância, o problema são artigos dentro do projeto que engessam o professor (a) na sua atribuição de lecionar, além de tentar impor um modelo de educação com teor medieval no que se refere a temática sexualidade.

Por exemplo o Artigo 2 inciso 1 diz: " Os Pais e responsáveis tem o direito que seus filhos menores recebam educação moral e religiosa que esteja de acordo com suas convicções..."

Imagina a complexidade dessa temática em sala de aula, como o estado é laico e educação religiosa é optativa, através do citado artigo acima os pais podem compreender que tem o direito de exigir do professor em sala que transmitam um conhecimento que seja uma extensão de sua fé professada na esfera privada.

E o que seria educação moral? Não se fala em educação moral desde a ditadura militar, essa é uma temática de responsabilidade da família e não da escola pública, que moral? Segundo o projeto a moral e convicção da família, algo vago, e sem nenhum respaldo nas leis vigentes que tratam da educação pública.

É no inciso 2 do referido artigo engessa o trabalho em sala do professor que é obrigado antes de tratar o assunto em sala necessita mostrar a família o material utilizado para ministrar a aula.

O artigo 3 vai mais longe na criminalização da temática sexualidade que tem respaldo na legislação vigente, inclusive nos PCN's que tratam especificamente dessa temática, o professor está proibido de utilizar em sala a temática sexualidade a não ser informações sobre o sistema reprodutivo, algo medieval e até omisso pois omitir informação é justamente que acarreta a disseminação de doenças sexualmente transmissível e gravidez precoce de adolescentes.

É para finalizar o processo inquisitório no artigo 6 caso o servidor não cumpra o que estabelece a lei será punido pelo ato ilícito conforme a interpretação da lei.

Infelizmente essa lei foi aprovada de afogadilho sem o devido debate com educadores, entidades e até religiosos e demais componentes da sociedade civil, tentamos ontem junto a vereadora Gláucia PSDB dialogar para que tivéssemos o devido debate é a lei fosse apresentada em outro momento com contribuições de Professor e entidades, mas na mesma linha do conteúdo dessa legislação retrógrada a Vereadora deixou claro que não tinha obrigação de consultar ninguém para encaminhar um projeto de lei, é que era pressuposto de seu mandato encaminhar propostas que entende ser importante para cidade, enfim, uma postura lamentável de um parlamento que tem justamente na sua essência de sua existência o debate, a democracia e transparência para construção de uma sociedade tolerante, justa e que respeite a diversidade, bem diferente do que aconteceu ontem em nossa câmara municipal. Continuamos na luta!!!

Fábio Sardinha
Professor e Diretor Estadual APEOESP

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Cadê o posicionamento vereador???

https://m.facebook.com/groups/311196259230535?view=permalink&id=516044755412350
👆🏻👆🏻👆🏻👆🏻👆🏻👆🏻👍🏻
Cadê o posicionamento vereador???

Hoje dia 26/09/2017 estivemos na câmara para acompanhar a votação de um projeto conforme já publiquei, e na oportunidade o vereador Boni - Rede, subiu a tribuna para alertar aos vereadores sobre a votação do PME, pois segundo ele na atividade da vinda de defensores da Escola sem Partido que postei abaixo, que aconteceu em Março, ele teria sido muito ofendido pelas redes sociais e também na referida palestra por alguns professores, como na ocasião o vereador discutiu comigo e com outros professores que queriam usar a palavra, reproduzo novamente a postagem abaixo e também a notícia do sindicato dos servidores municipais: http://municipais.org.br/noticias/integra/2026, como podemos ver no link acima de Março publicamos apenas o registro fiel daquela tarde na Câmara Municipal, agora lamento que o nobre vereador tenha dificuldades em separar o que é de fato ofensa e direito de opinião de qualquer cidadão, pois ser parlamentar é estar preparado para o contraditório e sempre respeitar as posições divergentes sem dissimulações vazias que não correspondem a realidade dos fatos públicos. E detalhe nesse dia Boni - REDE nos informou que não tinha posicionamento sobre esse projeto, que atendeu a solicitação dos defensores do projeto para conhecer o que ele significava, ainda não sabemos o posicionamento do vereador publicamente sobre o que pensa sobre a Escola sem Partido, ainda estamos aguardando...

Educação para Diversidade

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=10214983006874611&id=1412314360
👆🏻👆🏻👆🏻👆🏻👆🏻

Projeto de combate a Pornografia sim, mas sempre contra imposição de educação moral e religiosa nas escolas. #democracia #educacao