sexta-feira, 25 de julho de 2008

UBES 60 ANOS DE LUTA!


Hoje é um dia muito especial para todos estudantes secundaristas e jovens, pois se comemora 60 anos de luta de uma entidade que preza pela educação pública de qualidade e por uma sociedade mais justa, fundada em 1948, na Praia do Flamengo, número 132, ao lado da UNE, foi uma das protagonistas da vitoriosa campanha "O Petróleo é nosso", que culminou em uma das maiores conquistas do nosso povo: a Petrobras.
A entidade destacou-se nas lutas pelo fim da ditadura militar e pela redemocratização do país, se destacando com uma enorme contribuição na formação de lideranças estudantis e de avanços como o voto aos 16 que foi uma conquista dos secundaristas, em 1992, a luta pela derrubada de Fernando Collor do governo central foi majoritariamente impulsionada por milhares de estudantes secundaristas e o governo neoliberal de Fernando Henrique Cardoso foi intensamente criticado através de manifestações e repúdio pelos secundaristas.
Atualmente a entidade trava uma luta por uma nova escola, mais inclusiva e que os jovens tenham um papela mais participativo nesse processo, nas palavras de seu diretor de politicas institucionais Thiago Mayworm :
"Defendemos uma escola que, além de valorizar a cultura e a história afro-brasileira, ensine sociologia e filosofia no ensino médio, que garanta materiais didáticos aos estudantes, bibliotecas, laboratórios de ciências e de informática com acesso à banda larga, que seja um espaço onde a comunidade escolar (funcionários, estudantes, pais e professores) tenham o direito de eleger seu diretor e participar da gestão através dos conselhos escolares, dos grêmios estudantis e demais instrumentos de participação. Lutamos por uma escola que valorize o profissional de educação com salários dignos e boas condições de trabalho e que sirva ao desenvolvimento nacional e à soberania do Brasil. Também queremos uma escola que apresente futuro, que esteja aberta à toda a comunidade por período integral, com atividades extra-curriculares ligadas à ciência, ao lazer, ao esporte, à educação, à cultura e ao incentivo da profissionalização."
O desafio é grande, mas com o protagonismo dos jovens secundaristas com certeza essa batalha está com o destino certo da vitória, por mais 60 anos de luta e conquistas, parabéns Ubes.

Fábio Sardinha
Estudante e presidente da UJS - RP

sexta-feira, 18 de julho de 2008

VERGONHA NACIONAL


video

Incrível como em poucas palavras a jornalista sintetiza a dura realidade imposta aos brasileiros pelos bancos no Brasil, até quando vamos ter nossa renda assaltada legalmente por esses grupos, que apenas especulam e não geram empregos de fato, pelo contrário, apenas terceirizam e exploram muitos funcionários com uma lógica perversa de acumulo de lucros, aproveitando toda a operação da PF que colocou Dantas atrás das grades, ('por pouco tempo, graças ao grande Gilmar Mendes') não poderia deixar de inserir esse vídeo clássico por assim dizer.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

GLOBALIZAÇÃO PRA QUEM???



A globalização atual é perversa, fundada na tirania da informação e do dinheiro, na competitividade, na confusão dos espíritos e na violência estrutural, acarretando o desfalecimento da política feita pelo Estado e a imposição de uma política comandada pelas empresas.- Milton Santos, em "Por uma outra Globalização", Editora Record.

Essa passagem do grande Milton Santos em minha opinião retrata muito bem a realidade que nós congregamos e a influência e tirania do capital estende seus laços por toda sociedade através da família, relações afetivas e não poderia deixar de influenciar o espaço que envolve mais poder, que é a política, escrevo isso, pois uma eleição municipal se avizinha e é nesse momento que as forças do grande capital escolhem seus candidatos que vão representá-los no próximo mandato, e essa eleição vai influenciar muito as próximas eleições presidenciais e pode até defini-la dependendo da correlação de forças que estiverem representadas, então é necessário e urgente que as organizações populares se aprontem para essa disputa, que uma direita raivosa tem sede de retornar ao seu posto de comando do País, é importante sabermos identificar nossos candidatos a vereador e a prefeito que de fato estejam em sintonia com as demandas populares, candidatos que possuem uma história de luta e defesa dos avanços sociais, como um estado forte e presente, que de garantias mínimas para a sociedade, como uma saúde decente e educação pública de qualidade principalmente, não podemos nos iludir e nem deixar se ludibriar com campanhas milionárias que prometem resolver tudo como num passe de mágica, com a resolução 22.718 do TSE, muita coisa vai ser diferente nessa eleição, onde o que vai contar é o contato pessoal, é esse o momento de questionar o candidato e saber de fato quais são suas reais intenções, é necessário mudar, e não mudar por apenas mudar, mas sim transformar essa realidade, a escolher candidatos que tenham um projeto coletivo de transformação social, onde as demandas sociais sejam atendidas em sua plenitude, esse é o caminho que deve ser trilhado para avançarmos nas conquistas sociais e rompermos com a lógica assistencialista que acorrenta e subestimam uma população carente para promover candidatos oportunistas e lacaios do grande capital que representam empreiteiras e demais empresas que possuem laços estreitos com os serviços públicos, em Ribeirão isso não é ficção, mas uma dura realidade temos uma câmara que não se renova campanhas custeadas com dinheiro público, gastos com combustível na ordem de R$ 600,00, jetons, 13°, campeã em projetos inconstitucionais, vereadores com permanência de 40 anos no mandato, até quando isso vai continuar? Esse é o momento de dizer uma basta para esta farra nas costas do povo, e esse basta é na hora do voto que representa a vontade popular sobre o futuro de uma Cidade e País, chega da imposição de uma política ditada por empresas e um seleto grupo, e que a vitória seja da unidade popular para transformação social efetiva e permanente, vamos se organizar para mudarmos a correlação de forças nessa sociedade e que o campo popular seja vitorioso.
Fábio Sardinha
Professor e estudante

sexta-feira, 4 de julho de 2008